Café com Cidadania discute sobre drogas e comemora o carnaval

6


 



 


Com oito edições já realizadas, o ciclo de palestras “Café com Cidadania” promoveu no último sábado, dia 30 de janeiro, mais uma palestra que abordou o tema “Uso de drogas: causas e consequências”, proferida pelas fazendárias Rute Mourão e Rozelha Pontes. O evento contou também com atividade lúdica comandada pelo Grupo Tom Maior, banda que interpretou músicas de carnaval e animou todo o Pavilhão Café Atlântico, na comunidade do Poço da Draga, local onde aconteceu o evento.


 


A inciativa faz parte das ações do Projeto de Inclusão Social da Fundação Sintaf, ProSocial, que é fruto do convênio entre a Secretaria da Fazenda (Sefaz), o Sindicato dos Fazendários (Sintaf) e a Fundação Sintaf. O evento também conta com o apoio da Associação dos Aposentados Fazendários (AAFEC), Cafaz, Projeto Atitude Atletas, Ong Velaumar e, nesta edição, Restaurante L’escale. 


 


A última edição do “Café com Cidadania” reuniu moradores da comunidade do Poço da Draga, crianças e adolescentes do Projeto Atitude Atletas, a psicóloga do Laboratório Social da Sefaz, Arminda Rodrigues , as conselheiras da Fundação Sintaf, Susie Marino e Valéria Brasil, a Diretora do Sintaf, Yolita Sá, e as integrantes do ProSocial, Dayse de Oliveira e Silvana Alcântara.  


 


Conversa sobre drogas


 


A manhã de atividades do ciclo de palestras teve início com palestra que discutiu um tema bastante complexo e presente no cotidiano de muitas pessoas: as drogas. A assistente social e fazendária, Rute Mourão, fala que debater sobre o uso de drogas é uma questão ampla que envolve muitos setores da sociedade. “Mas, o foco é a família. É fundamental que essa conversa tenha também a participação dos pais. A família tem que ser um espaço de diálogo”, afirma ela.


 


De acordo com Rute, o contexto social em que está inserido o usuário de drogas é determinante para compreender o que os levou à dependência química. “As drogas são um problema de saúde pública. E um grande problema é o fato do uso das drogas estar associado ao uso de outras drogas lícitas”, aponta a assistente social.


 


Rute ainda destaca que o maior número de usuários de drogas são jovens. “A maioria são jovens, apesar de existirem estudos que mostram que o uso de drogas também é iniciado por pessoas com 50 anos de idade. A droga é democrática. Ela não escolhe idade, sexo, cor ou religião”, completa ela.


 


A assistente social e fazendária, Rozelha Pontes, explica que o uso de drogas é consequência de vários fatores: hereditário, cultural, social e familiar. Entretanto, existem estratégias de enfrentamento como a dedicação aos estudos, aos esportes ou a participação em grupos culturais, por exemplo.


 


Rozelha ainda fala sobre a existência do Laboratório Social, inciativa da Sefaz em parceria com a Cafaz, que é um espaço de escuta, reflexão, partilha e aprendizado relacionado aos problemas da sociedade contemporânea que levam ao sofrimento psíquico e como consequência a dependência química.


 


Comemoração


 



 


 


Após a palestra, foi realizado um animado baile de carnaval no Pavilhão Café Atlântico. Ao som de músicas e marchinhas de carnaval, o Grupo Tom Maior comandou a folia das crianças, jovens e adultos que pularam o carnaval com muito confete, serpentina e alegria.


 


A próxima edição do Café com Cidadania será realizada em fevereiro. O ciclo de palestras é realizado mensalmente e é direcionado aos moradores de comunidades que residem próximo a unidades da Sefaz. A cada edição, são abordados temas diversos de interesse público que viabilizem o exercício da cidadania.


 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here