Sintaf reúne-se com a secretária dos Povos Indígenas do Ceará

74

A secretária dos Povos Indígenas do Ceará, Juliana Alves, compareceu à sede do Sintaf na tarde desta quarta-feira (17/8), a convite da Diretoria Colegiada, para conhecer o projeto “Lute como uma Bárbara”, desenvolvido em parceria pelo Sindicato e a Fundação Sintaf. O projeto visa resgatar a história da heroína Bárbara de Alencar e o conjunto de valores que ela representa, valorizando o protagonismo das mulheres na transformação da sociedade.

Cacika Irê do Povo Jenipapo-Kanindé, Juliana Alves falou sobre a luta indígena ao longo das últimas décadas. Conforme destacou, de acordo com os dados do IBGE, o Estado do Ceará possui 56 mil indígenas em seu território. “O Ceará só começou a falar nos povos indígenas no final da década de 80, com Dom Aloísio Lorscheider. Nosso estado ainda é muito atrasado na questão da demarcação de terras indígenas”, disse, justificando a importância da criação da Secretaria dos Povos Indígenas do Ceará – reflexo da criação do Ministério dos Povos Indígenas.

Na ocasião, os dirigentes sindicais expuseram as ações do Sintaf e da Fundação Sintaf, e convidaram a Secretária a participar de um dos painéis do IX Congresso Estadual dos Fazendários do Ceará (Conefaz), que ocorrerá nos dias 8, 9 e 10 de novembro deste ano. O referido painel debaterá o protagonismo feminino à luz de Bárbara de Alencar.

“A liberdade da mulher é muito recente. Não podíamos estudar sem autorização do pai, nem tínhamos direito a voto, a exercer a cidadania. Também é recente a participação das mulheres indígenas na política”, afirmou, enfatizando que o exercício da política é fundamental para o avanço de demandas históricas.

Fonte: Site do Sintaf Ceará