Janeiro Branco – para inspirar as pessoas a refletirem sobre suas vidas e relações, o que desejam alcançar no ano que se inicia

126

No mês especificamente dedicado à saúde mental, a Fundação Sintaf debateu o tema com a comunidade do Poço da Draga. Como ensina a campanha 2023, “A vida pede equilíbrio!” E juntos é possível levar essa mensagem ao mundo. 

 

A Fundação Sintaf, em parceria com a ONG Velaumar, apresentou na comunidade do Poço da Draga uma roda de conversa sobre a importância da saúde mental. O evento, na tarde da quarta-feira, 18 de janeiro, foi dirigido por Sabrina Gomes de Souza, psicóloga clínica e social, e teve a participação de moradoras e membros da Fundação. É a campanha Janeiro Branco, dedicada à conscientização do cuidado com a saúde mental. 

Sabrina ressaltou a importância de ter uma mente saudável, não apenas porque é parte fundamental de ser quem somos, mas também porque os problemas psicológicos podem redundar em males físicos, como queda de cabelo, desconforto digestivo, dificuldade respiratória, entre outros.  

Lições 

Problemas mentais sérios como depressão devem ser tratados como qualquer outra doença. A depressão pode ser genética, tendo como causa fatores hereditários; ou ser adquirida, devido a um trauma vivido, em decorrência de uma doença grave como câncer ou a perda de um ente querido. “Em certos casos pode levar à morte, e necessita de remédios para ser controlada”, ensina a psicóloga.  

Sobre a ansiedade, Sabrina explicou que todo ser humano nasce com ela. É um mecanismo de proteção, que ajuda a evitar situações de perigo. “Porém, quando surge em momentos de segurança e provoca crises, é um sinal de que está se tornando um problema”, alertou. A Internet e as redes sociais podem ser fator causador de ansiedade, especialmente para crianças e adolescentes, quando explorada sem a devida supervisão dos pais.

Aprendizado efetivo 

Muitas moradoras se identificaram com os problemas citados por Sabrina, que também afirmou não ser possível estar completamente saudável do ponto de vista mental, “afinal, sempre haverá fatores estressantes na vida, seja o pagamento de contas, trabalho, os filhos ou os relacionamentos”. Mesmo com todo o estigma e a desinformação, procurar um psicólogo ou um psiquiatra, no caso de doença mental e tomar a medicação receitada, é imprescindível. “Quando quebra o braço, você procura um traumatologista. Do mesmo jeito, procure um psiquiatra quando tem depressão”, ensinou Sabrina Gomes. “Também deve-se estar ciente de que problemas mentais ressoam em todos os âmbitos da vida, por isso é tão importante que sejam tratados”. 

Tome nota! 

Ao final de roda de conversa, a psicóloga deu algumas dicas para manter uma boa saúde da mente: 

– Conhecer as próprias emoções, conhecer a si mesmo; 

– Não reprimir as emoções, pois é um ato nocivo, especialmente para crianças em desenvolvimento; 

– Aprender a lidar com emoções de estresse, raiva e tristeza, que sempre estarão presentes; 

– Tentar ter bom relacionamento familiar e se manter perto de pessoas boas e confiáveis, que ofereçam ajuda e apoio nos momentos difíceis. 

O evento foi encerrado com muita alegria, abraços e promessas de todas cuidarem tão bem da saúde da mente quanto cuidam do corpo.